CONTATE-NOS PELO WHATSAPP: 99512-9504

domingo, 22 de janeiro de 2017

Porque as crianças desenham? Conheça as características do desenho infantil

Por Lina Herrera



A criança desde que nasce está em um contínuo contato com seu entorno, o que lhe permite descobrir a capacidade que tem seus sentidos e assim começar a utilizá-los com o fim de estabelecer comunicação através de seus comportamentos.
E é fundamental como Cabezas López, C (2007) relata, que os pais e educadores sejam muito receptivos diante destas expressões das crianças, porque dessa forma poderão entender as futuras manifestações através das brincadeiras e dos desenhos. Aprendendo assim, a observar as emoções dos pequenos, monitorando as vias de desenvolvimento e fomentando vínculos que permitirão ao pai ou professor compreender o que a criança quer dizer e de que jeito o expressa.
Como bem sabemos, as crianças se desenvolvem sob os esquemas da sociedade, as práticas familiares, as normas e os costumes culturais, por isso, que tal desenvolvimento deve ser sempre o foco, para assim garantir a educação e a compreensão para com a criança com o fim de prepará-los para a vida adulta.  O autor Cabezas López, C (2007) propõe que o desenho infantil, se converte em um indicador que nos permite estimular, conhecer e ajudar no desenvolvimento das crianças.
Segundo este autor os rabiscos e desenhos de uma criança são uma das atividades mais importantes para seu desenvolvimento intelectual, já que é por meio destes desenhos que a criança é capaz de expressar seu estado psicológico e seu bem-estar emocional, pois estes lhe permitem criar um vínculo entre seu mundo interno com o mundo externo.
No momento em que a criança desenha, ela é capaz de representar suas emoções, por isso se faz necessário que os pais e os professores respeitem suas criações. Uma possível falta de compreensão e/ou desprezo, podem ocasionar perturbações. Cabezas Lopez, C (2007)

A informação que pode se obter através dos desenhos de uma criança é ampla, especialmente se aquela criança ainda não pode se comunicar de forma oral, o que lhe permitiria um espaço próprio onde exerce o controle da sua realidade; porque no momento que a criança cresce e aprende como que funciona o entorno, vai sentir a necessidade de socializar, imitar e apropriar-se das coisas novas e é nesse momento que o desenho entra em cena e faz o rol de intermediário, projetando essas necessidades; permitindo, assim, um amadurecimento gradual da percepção que tem a criança do mundo.
Como diz Cabezas Lopez, C (2007), “o desejo de ser valorizado e obter um equilíbrio faz parte da procura através da expressão infantil nos desenhos, como diz Anne Cambier – o desenho é uma transposição ou representação de algo relacionado com a realidade” pode ser um objeto ou uma emoção.”
A apreciação que a criança terá da realidade vai depender em grande medida do grau de estimulação, como, o contato com as cores, diferentes materiais, novos espaços, brincar com outras crianças, etc. Em resumo, tudo aquilo que possa estimular a inteligência da criança; tal como diz Woolfson R. 2002, “a inteligência na infância se desenvolve, e seu grau de evolução é reflexo do capital social e cultural ao que foi exposto”.  A nível emocional, a criança também precisa de estimulação, a atenção dos pais nos desenhos, assim como o reconhecimento do esforço da criança, já que esses fatores fomentarão a retroalimentação nesta atividade, fazendo com que a criança se sinta compreendida e aceitada.
Etapas do desenho Infantil
As formas em que a criança se expressa no desenho vão evoluindo paralelamente com o desenvolvimento psicomotor e cognitivo, juntamente ela vai adquirindo outras formas de comunicação.
O desenho, à medida que a criança vai crescendo vai ganhando novos elementos, procurando representar a realidade vivida.
Em geral se identificam as seguintes etapas do desenho infantil:
  • Garatujas
Ocorre aproximadamente aos 2 anos de idade, nesta fase a criança rabisca de forma desordenada com objetivo de explorar o papel, os materiais e os traços.


 Pré-Esquemático
Inicia-se por volta dos 4 anos, se estendendo aproximadamente até os 7. A criança tenta representar a forma humana e os objetos que visualiza, mas ainda de forma desordenada e desproporcional.

Esquemático
Inicia-se por volta dos 7 anos, podendo se estender até os 9. Já foram desenvolvidas as formas e seus desenhos são representativos, descritivos e organizados.




Realismo Esquemático


Inicia-se aos 9 e estende-se até os 12 anos de idade. A representação do real é mais completa e existe bastante simbologia, a autocritica também é maior.

É importante estarmos atentos aos desenhos das crianças, mas estas por si só podem nos gerar confusões, porém é importante que os pais estejam sempre presentes e reconheçam o estado emocional de seus filhos, já que muitas vezes a criança pode desenhar coisas relacionadas a seus gostos, podendo ser, desenhos de videogames, ou de séries animadas.   
 Referências Bibliográficas:
Cabezas Lopez. C. (2007). Analisis y caracteristicas del dibujo infantil. Jaen, España: Ittakus. Disponivel em <http://www.publicatuslibros.com/fileadmin/Biblioteca/Libros/Carlos_Cabezas_Lopez_-__Analisis_y_Caracteristicas_del_Dibujo_Infantil.pdf\>
WOOLFSON, R. C. (2002). Niño genial: guía de actividades para la estimulación de su hijo, p 22.

Nenhum comentário: